sábado, 21 de abril de 2012

O humilde rapaz que escreveu uma incrível história de sucesso

Esse é Maurício Tonhá, o feirante que hoje é responsável pela realização do maior leilão da pecuária mundial, o Megaleilão da Estância Bahia.

Baiano de Santana dos Brejos, filho de pequeno produtor rural e uma professora do ensino primário, Maurício Tonhá, escreveu uma incrível história de sucesso ao longo da carreira. Conhecido hoje como “o leiloeiro das grandes boiadas”, ele nunca se deixou abater pelas dificuldades da vida. Foi graças ao seu otimismo que o menino humilde do interior da Bahia construiu um dos empreendimentos mais sólidos do estado do Mato Grosso e do Brasil, o Grupo Estância Bahia, que hoje possui um confinamento para 20 mil cabeças de gado e coordena o maior leilão da pecuária mundial. Em apenas sete horas, são vendidos 40 mil bois.

Sua história começou aos 15 anos de idade, quando decidiu sair da pequena cidade onde morava para continuar estudar em Brasília, no Distrito Federal, e encontrar uma boa condição de trabalho. “Até meus 19 anos trabalhei como feirante. Trabalhava duro durante o dia, vendendo embalagens plásticas, e à noite me dedicava aos estudos. Essa fase ficou marcada. Foi a época em que comecei a desenvolver o tino comercial. Para me manter, precisava de dinheiro e, para consegui-lo, tinha de ser persistente e vender meu produto. Com certeza, foi a melhor escola da minha vida”, relembra o empresário.

Mesmo despertando para as vendas, o sonho era ser engenheiro da construção civil, mais distante a cada hora extra no trabalho. À época, sua formação não permitiu ingressar em uma universidade pública. “Naquela época não contávamos com os recursos que temos hoje e entrar em uma boa instituição era algo quase impossível”, comenta.

Entendendo que o estudo seria o caminho para um futuro melhor, passou a se dedicar aos concursos públicos. O reconhecimento veio em 1982, quando foi convocado pela agência da Caixa Econômica em Barra do Garças, no Mato Grosso. Sua condição passou a melhorar, porém, tinha em mente que poderia crescer ainda mais. Prestou outro concurso, dessa vez para o Banco do Brasil, e foi nomeado para preencher uma vaga em Água Boa, na porção média do Vale do Araguaia.

Ficou satisfeito com a nova fase, mas percebeu que não era aquilo que queria. Foi quando, de certa forma, passou a empreender, mas sem deixar o cargo que exercido no banco. Com o dinheiro das férias, passou a investir as economias na compra de pequenas quantidades de gado. Quando voltava à terra natal para visitar suas raízes, percebeu que poderia ganhar dinheiro explorando outro negócio: comprar animais de tropa (serviço) para vender em Mato Grosso. A demanda por estes animais era grande principalmente no Vale do Araguaia. Ao longo do mês pegava um velho caminhão e fazia várias viagens em busca de animais. “Era uma atividade belíssima, com resultados financeiros muito expressivos, mesmo sendo um pequeno volume”, comenta.

Para não voltar para a Bahia com o caminhão vazio, passou a fornecer o que Mato Grosso produzia em abundância: arroz. E não parou por aí. Na época, havia uma grande oferta de aroeira na Bahia, madeira nobre, muito resistente, cobiçada pelos fazendeiros mato-grossenses, que a usava para cercar as propriedades. Levando arroz e trazendo animais e madeira nobre, nascia uma atividade comercial que mudaria de vez a vida de Maurício Tonhá.

Ao mesmo tempo em que despertava um grande espírito empreendedor, Tonhá, aos 26 anos, era um cidadão interessado nos assuntos políticos relacionados ao desenvolvimento de Água Boa. Foi quando, em 1988, se candidatou a vereador. Um dos mais votados, tornou-se presidente da Câmara, o mais jovem do Brasil.

Desligou-se do Banco do Brasil e com o capital poupado, passou a se dedicar ao comércio de poucos bovinos. Nascia, então, o Grupo Estância Bahia, leiloeira comprometida com o desenvolvimento da pecuária. O primeiro leilão que promoveu foi realizado em parque arrendado da UDR, de Água Boa, com 229 animais. A forte demanda na região impulsionou o crescimento do negócio até que, em 1993, Tonhá decidiu construir um recinto de leilões próprio. O espaço foi inaugurado em 1994 com um pregão que foi um sucesso. Foram vendidos 2.400 bovinos, volume que não parou de crescer ao longo dos anos, graças à coragem e ousadia de Tonhá

Nasce o maior leilão da pecuária mundial – Em comemoração aos 10 anos de atividade da Estância Bahia como empresa leiloeira rural, em 2001, Maurício Tonhá anunciou a realização de um grande leilão, com a oferta de 10.000 bovinos de várias fazendas de Mato Grosso. Ninguém acreditou que conseguiria. Ele relembra que fora desafiado e chamado de “picareta” por um criador do Rio Grande do Sul, que disse: “Tchê, não existe homem no mundo capaz de vender 10 mil bois num leilão”. Tonhá rebateu convicto em sua afirmação: “Pois agora não serão mais 10 mil, serão mais de 10 mil, vou vender, no mínimo, 10.001 animais”. O resultado superou as expectativas. Foram apregoados 12.861 animais e assim nasceu o Megaleilão da Estância Bahia, o maior evento da pecuária mundial.

Não está no Guinness Book – O Livro dos Recordes, mas, segundo o empresário, não há registro de nenhum outro com tantos animais vendidos em apenas um dia e local. O evento passou a ser realizado anualmente e os números exponenciais surgiam a cada edição, assim como o desejo de vários pecuaristas em fazer parte dessa história.
A Estância Bahia cresceu rapidamente e por questões de logística uma filial foi inaugurada em Cuiabá. Neste ano, o megaleilão comemora a 12º edição em Água Boa e, desde 2007, uma segunda etapa de vendas é realizada na capital mato-grossense, que também passaram a superar os próprios recordes. No ano passado, o circuito respondeu por 63,5 mil bovinos ofertados, 20% a mais que em 2011. Em Água Boa, 40,7 mil cabeças geraram faturamento de R$ 36 milhões. Em Cuiabá 15.789 machos e 7.095 fêmeas saíram R$ 19,7 milhões.
A demanda é tão grande que, somente no ano passado, um único criador arrematou 5.000 (cinco mil) animais. O evento conta com ofertas diversificadas e é uma grande vitrine tecnológica, na qual podem ser conferidos os avanços em genética e nutrição. Neste ano, o empresário prevê comercializar 70 mil bovinos, contando ainda com uma etapa inédita realizada em Britânia (GO)




Cadastro e Lances: (66) 3468-6600 / (65) 2121-6700

www.estanciabahia.com.br

ATENDIMENTO À IMPRENSA
Em Água Boa (MT): Wolney Domingos
Assessor de Comunicação do Grupo Estância Bahia
Telefone: (66) 3468-6600/ (66) 9622-7768
E-mail: imprensa@estanciabahia.com.br

Em São Paulo: Pec Press - Imprensa Agropecuária
Adilson Rodrigues - Jornalista Responsável (Mtb 52.769)
Robson Rodrigues - Coordenação e Atendimento
Telefones: (11) 3876-8648 / 8642-8773
adilson@pecpress.com.br e robson@pecpress.com.br
Acesse nosso blog: www.pecpress.blogspot.com
Skipe: robson.pecpress
MSN: robson.pecpress@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário