segunda-feira, 14 de maio de 2012

Guzerá Villefort promove oferta especial de 110 reprodutores Guzerá PO

Raça bovina de origem indiana com mais de cinco mil anos, o Guzerá vem conquistando cada vez mais adeptos no Brasil. O zebuíno que tem caído no gosto dos pecuaristas de corte, ganha força também no leite, principalmente pela sua rusticidade. Para atender a essa demanda, o Guzerá Villefort, de Minas Gerais, agendou para o dia 28 de maio, a partir das 21 horas, o Leilão Virtual Reprodutores Guzerá Villefort. O evento ocorre pelo Canal Rural, com 110 reprodutores Guzerá PO.
Durante o leilão, que será organizado pela Programa Leilões, pecuaristas de todo Brasil terão acesso a touros de alta performance, todos puros de origem, com Registro Definitivo da ABCZ, mochados para facilitar o manejo e que seguem com andrológico positivo e exame de DNA. Outro diferencial é o pagamento facilitado, que será em até 24 parcelas, e o frete grátis em condições especiais. Em Minas Gerais, o benefício é valido para compras de qualquer quantidade. Nos estados vizinhos, e também em MT, PR, e TO, acima de dois animais, e demais localidades, seis cabeças ou mais.
O promotor Virgílio Villefort comenta que os animais reúnem características como rusticidade e adaptabilidade, com muita precocidade, fertilidade e bons índices para ganho de peso e rendimento de carcaça. Segundo ele, são ideais para vários cruzamentos, tanto no corte quanto no leite. O choque sanguíneo com o Nelore (para carne) e o Holandês (para leite) estão entre os preferidos.
No cruzamento com o Nelore, o Guzerá gera o Guzonel, gado pesado, que caminha grandes extensões em busca do alimento e detém uma carne diferenciada. As fêmeas meio-sangue são boas mães e produtoras de leite, longevas e oferecem várias alternativas de cruzamento, como com o Gir ou Holandês.
Já com gado Holandês origina fêmeas Guzolando rústicas e também longevas, muito férteis e produtoras de leite em condições de pasto. A técnica está em franca expansão no Norte, Nordeste e Centro-Oeste, respaldada pela migração das bacias leiteiras para estes locais de clima mais quente. "Essas regiões exigem raças que sejam produtivas e resistentes ao calor, características naturalmente encontradas no Guzerá", argumenta.
Os ganhos ainda se estendem com o abate dos machos, pela qualidade da carne e carcaça. A resistência e conversão alimentar sobressaltada são peculiaridades no Guzerá. Talvez seja a raça que apresente os melhores índices entre todos os zebuínos, o que ajuda a explicar a sua rápida expansão por quase todo território nacional. "A raça provém de regiões desérticas da Índia, onde é baixa a oferta de alimento e o clima oscila de 50º durante o dia para menos de 0° à noite", explica Villefort.
Guzonel, uma ótima opção de receptora - Outra possibilidade de investimento está na produção de receptoras. Com a determinação da ABCZ, que torna obrigatório o uso de ventres 100% zebuínas nos processos de FIV e TE para o Nelore, Brahman e outros zebus, a partir de 2014, haverá demanda superior a 1 milhão de fêmeas, segundo estimativa inicial do departamento técnico da entidade. Para cada receptora
implantada, três serão necessárias no processo. As fêmeas Guzonel (Guzerá PO x Nelore comercial) serão muito requisitadas, pela dupla eficiência do Guzerá, a docilidade, facilidade de parto, a possibilidade de criação em regime de pasto e a produção de leite.
MAIS INFORMAÇÕES
Guzerá Villefort - (31) 3627-1145guzeravillefort@villefort.com.br .
ATENDIMENTO À IMPRENSA
Pec Press - Imprensa Agropecuária
Adilson Rodrigues - Jornalista Responsável (Mtb 52.769)
Robson Rodrigues - Coordenação e Atendimento
Telefones: (11) 3876-8648 / 8642-8773
adilson@pecpress.com.br e robson@pecpress.com.br
Acesse nosso blog: www.pecpress.blogspot.com
Skype: robson.pecpress
MSN: robson.pecpress@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário