sábado, 7 de julho de 2012

Produção, manejo e seleção de fêmeas será destaque em Dia de Campo na cidade de Jarinu, no interior de São Paulo


Cerca de 300 ovinocultores são esperados para o III Dia na Dorper Campo Verde, agendado para o dia 21 de julho, a partir das 8h30, em Jarinu (SP). O evento é uma iniciativa da Dorper Campo Verde, responsável pela maior reserva genética das raças Dorper e White Dorper de linhagem sul-africana do Brasil, com o objetivo de fomentar a organização da cadeia produtiva da carne de cordeiro. O foco dos debates serão as estratégias de produção, manejo e seleção das fêmeas ovinas, os caminhos para se alcançar a tão sonhada produção em escala. 
O engenheiro-agrônomo e gerente da Campo Verde, Carlos Vilhena Vieira, explica que,  nas edições anteriores, muito se falou sobre o mercado, as exigências dos ovinos e o impacto do melhoramento genético na rentabilidade, entretanto, o surgimento de dúvidas é frequente, principalmente sobre o manejo das matrizes, que necessitam de cuidados especiais para se manterem férteis e  longevas por longo período", comenta.

Para isso, a Campo Verde convidou especialistas e também um criador que fez da ovinocultura um negócio muito lucrativo. A zootecnista, consultora e doutoranda em custos de produção Camila Raineri será a primeira palestrante. Com o tema "Manejo de Fêmeas: da Recria ao Parto" ela falará sobre alternativas de manejo e nutrição, redução de problemas de parto e o aproveitamento das ovelhas no rebanho e sua comercialização como matriz. "Ainda é grande a demanda de criadores que, muitas vezes, encontram dificuldade em manejar as borregas no decorrer de seu desenvolvimento, o que pode gerar prejuízo e retardar o crescimento do rebanho", explica. Camila também cria, é proprietária da Paraíso Ovinos, localizada em Leme (SP), onde comercializa fêmeas cruzadas para produção de cordeiros.

Dão sequencia, duas apresentações sobre manejo sanitário. A primeira será do médico- veterinário, PH.D e gerente técnico da MSD Saúde Animal, Sebastião Faria Jr, sobre a saúde no período da cria e sua influência na produção de cordeiros em quantidade e qualidade. Logo em seguida, o também veterinário, Mestre em Produção Animal e gerente técnico da Novartis Saúde Animal, Otaviano Pereira Neto, argumentará sobre verminoses e estratégias de controle em diferentes sistemas produtivos. "É um tema fundamental porque o rebanho é frequentemente atacado por poli-infecções causadas por vermes gastrointestinais, podendo levar os animais a morte", ressalta Lucas Heymeyer, responsável de vendas da Campo Verde.

Encerrando as discussões, Wagner Marchesi, proprietário da Cava Cordeiro, sediada em Jussara (GO), e o médico-veterinário e consultor técnico da propriedade, André Rocha, discorrem sobre a importância do melhoramento genético nas fêmeas destinadas à produção de carne. Inovadora, a Cava Cordeiro faz cria, recria, engorda e desossa na própria fazenda, terceirizando apenas o serviço de abate, realizado em Jussara e Formosa (GO), em abatedouros homologados pelo S.I.E ou S.I.F.

Tal iniciativa requer mais organização e capital, entretanto, o investimento retorna com valor agregado ao produto. A demanda é tão grande que, segundo ele, é preciso trabalhar em parceria, garantindo a compra, o abate e a distribuição dos cortes. Seu plantel gira em torno de 3.000 matrizes e deve se estabilizar em 5.000 nos próximos anos. "Aqui no Centro-Oeste, especialmente na região do Vale do Araguaia, buscamos animais que se adaptem ao clima e ao manejo em condição extensiva. Os cordeiros somente são confinados ao final do ciclo para agregar rendimento de carcaça e qualidade de carne", revela Marchesi.

No período da tarde, após o almoço, a Campo Verde realizará um shopping de reprodutores Dorper e White Dorper, com animais selecionados a partir das Deps (Diferença Esperada nas Progênies) para as características de real interesse econômico, como ganho de peso, precocidade, fertilidade e qualidade da carne. "São animais que vão transmitir mais carcaça aos cruzamentos, e podem gerar ganhos de até 25% no abate, devido à heterose", explica Heymeyer. O evento conta com apoio do CAT e do SEBRAE  e patrocínio de empresas privadas. 

No dia seguinte, 22 de julho, às 21 horas, a cabanha promove, pelo Canal Terraviva, o leilão virtual de 60 ovelhas e 10 carneiros PO (Puros de Origem), distribuídos em lotes duplos e individuais.



Cenário favorável - A criação de ovinos está em alta em todo país, estimulada pela crescente demanda de consumidores  para a carne de cordeiro e a histórica escassez de matéria-prima. Segundo dados do IBGE, o efetivo do rebanho brasileiro gira em torno de 16 milhões cabeças. Seriam necessários 100 milhões de animais para que houvesse produção em escala constante.  Cerca de 80% de toda carne que chega ao Brasil vem de outros países, principalmente do Uruguai, entretanto, suficiente para apenas pouquíssimas praças. Em busca de animais, a indústria passou a trabalhar com margens até três vezes mais altas do que há dois anos, idealizando um cenário que tem atraído grandes investidores e estimulado a expansão ou criação de projetos para a produção em volume e qualidade. "Com um consumo per capita de 700 gramas/ano, que está bem abaixo da média mundial (2 quilos), calcula-se que haja um déficit de 80 mil toneladas/ano, volume que representa apenas 10% do potencial de consumo", conclui o gerente da Dorper Campo Verde, Carlos Vilhena Vieira.

SAIBA MAIS:Dorper Campo Verde
contato@dorpercampoverde.com.br
www.dorpercampoverde.com.br
(11) 2626-9493
ATENDIMENTO À IMPRENSAPec Press - Imprensa Agropecuária
Adilson Rodrigues - Jornalista Responsável (Mtb 52.769)
Robson Rodrigues - Coordenação e Atendimento
Telefones: (11) 3876-8648 / 8642-8773






Nenhum comentário:

Postar um comentário